sexta-feira, 15 de março de 2013

Resumo da apresentação


Resumo da apresentação
Neste poema poema podemos verificar que o poeta constata que não existe natureza, ou seja, se considerarmos a natureza como sendo uma associação de elementos feita pelo nosso pensamento, podemos ver que isso não existe. O que o sujeito poético diz que existe são os elementos soltos da natureza, ou seja, o rio, as pedras.
Desta forma, podemos ver que o sujeito poético valoriza aquilo que é próprio dos nossos sentidos, nomeadamente da visão ao invés de valorizar aquilo que é próprio da razão ( como acontece com os outros heterónimos de fernando pessoa e também com o próprio ortónimo ). Sendo assim, este é considerado o mestre de todos os outros, visto que ao valorizar os sentidos, não tem as preocupações e o desassossego em si  de tentar sempre procurar mais qualquer coisa para ser feliz, pois este heterónimo aceita as coisas tal como elas são. Daí noutros poemas de Fernando pessoa os outros heterónimos e ortónominos expressarem o desejo de quererem ser como o seu mestre, Alberto Caeiro.

Inês Moura

Sem comentários:

Enviar um comentário