terça-feira, 23 de outubro de 2012

Relação entre a Metamorfeses de Ovídio com os Lusíadas.


A Metamorfeses foi uma das obras mais famosas e considerados do poeta Ovídio. Caracteriza-se como sendo um poema narrativo que fala acerca das origens do mundo até seu tempo.
Este acredita que antes da formação do mundo, ou seja, quando não existia mar, nem terras, nem céu, o aspecto do mundo inteiro era considerado como sendo tudo informe e confuso, nada concordava, era tudo muito instável, não havia qualquer Titã que oferece-se luz ao mundo, logo um Caos. Ainda que houvesse mar, terra e atmosfera, as ondas não eram navegáveis e a atmosfera sem luz.
Um certo dia, Deus ou a natureza madura pôs fim a esse caos e desembaraçou a bola de neve que se tinha construído, criando assim um lugar harmonioso. O céu pôs-se a brilhar no ponto mais alto do mundo, a terra, sendo tão pesada, foi arrastada para baixo e a água flui à volta dos espaços que sobraram. Como o mundo não poderia ser habitado devido ao calor, mandou colocar neve em camadas para que assim houvesse um clima temperado. Logo, deus organizou a terra para que pudesse ser habitada, criando assim os animais. Mas faltava ser criado um ser superior a estes, ou seja, mais inteligentes, capazes de reger os outros animais. É com esse pressuposto que é criado o Homem.
Deu-se então o surgimento da idade de ouro caracterizado por ser uma idade onde tudo era perfeito e pacífico pois não havia leis, nem castigos, nem ameaças e todos eram livres. Depois desta sucedeu a geração de prata caracterizada como sendo inferior à de ouro mas superior à de bronze. Foi nesta idade que Júpiter dividiu o ano em quatro estações e que o homem se viu obrigado a cultivar a terra para poder ter o que comer. A esta sucedeu a terceira geração, a de bronze, onde a perfeição já se estava a perder e a ideia de guerra era principiante. Por último veio a idade de ferro onde a noção de lealdade e sinceridade se perderam por completo e em sua substituição vieram as noções de traição, violência e mentira.
Podemos assim relacionar a obra de Ovídio, no que se refere à idade de ouro, com o episódio da Ilha dos Amores de Lusíadas pois, tudo é sobreposto a uma perfeição vivida pelos marinheiros portugueses a um plano divino. A ilha serva de recompensa aos marinheiros portugueses pelo seu percurso e por isso é caracterizado como sendo o seu paraíso.

Sem comentários:

Publicar um comentário